• Alves Lima

Principais tendências do mercado imobiliário para corretores ficarem de olho

Atualizado: 31 de jan.

O mercado imobiliário passou por algumas mudanças nos últimos dois anos, como novos costumes, desejos que surgiram durante a pandemia e com a evolução do mercado de imóveis no geral. Veja aqui as principais tendências do mercado imobiliário que você, corretor(a), precisa ficar de olho para oferecer as melhores opções e agarrar as maiores oportunidades.


Principais tendências do mercado imobiliário final de 2021 e 2022


Espaços maiores e mais cômodos


A pandemia, os lockdowns, empresas e restaurantes fechados pela cidade fizeram com que muitas pessoas precisassem passar mais tempo em casa, trabalhando ou apenas esperando tudo reabrir.


Isso fez com que muitas pessoas aprendessem a valorizar mais o lar e, consequentemente, pensar mais sobre a divisão dos espaços.


Muitas pessoas passaram a trabalhar home office, o que por si só fez surgir a vontade de ter um cômodo a mais para montar um escritório. Além disso, famílias com filhos também sentiram a necessidade de ter um lugar apropriado para separar a vida do trabalho, mas também para que todos pudessem aproveitar o lar em cômodos diferentes, conforme as necessidades de cada um.


Segundo uma pesquisa da Imóvelweb, 77% dos brasileiros aumentaram o desejo de se mudar durante a pandemia. Isso, provavelmente, aconteceu porque essas pessoas finalmente puderam passar muito tempo em casa e perceber os detalhes que consideravam importantes, assim como o que gostaria de mudar e melhorar no ambiente.

Novos costumes e novas formas de aproveitar a casa fizeram surgir a vontade de mais cômodos e mais espaços, como varandas, escritórios e salas de brinquedo para as crianças.


Valorização do lazer


Por precisar passar muito tempo em casa e sem ter aonde ir, por exemplo, praias, parques e locais para se divertir, em geral, asáreas de lazer também passaram a ser bem mais valorizadas.


Durante a pandemia, mesmo os condomínios tiveram que fechar as portas das áreas comuns e liberar apenas para pouca quantidade de pessoas e, mesmo assim, passou a ser mais valorizado.


A sensação de falta de liberdade dos últimos quase dois anos, fez com que ter um lugar privativo de lazer, para receber os amigos, por exemplo, fosse muito valorizado.


Áreas como varanda, piscina, campo de futebol, deck e demais espaços de convivência tiveram sua importância compreendida.


Espaço e boas divisões

Se os apartamentos compactos estavam em alta nos últimos anos, agora os espaços maiores também fazem parte da lista de desejo dos brasileiros.


Afinal, a pandemia também fez as pessoas repensarem sobre os espaços em casa.


Talvez por muitas pessoas terem precisado trabalhar de casa, os cômodos extras também tiveram sua parcela de valorização.

Fosse para montar um escritório improvisado, para poder ter um momento de paz lendo um livro ou assistindo à aula online com conforto. As pessoas querem cômodos maiores e mais cômodos.


Isso fez com que os espaços integrados, como varanda, sala de estar e jantar também se tornassem uma super tendência para os próximos anos.


Não basta ter os cômodos, esses cômodos precisam ser bem planejados e ter o espaço ideal.


Processos digitais


A tecnologia não é algo que não tem prazo para parar de ser tendência. Além disso, quando falamos em processos digitais para imóveis, falamos dos que trazem praticidade e comodidade para as pessoas, pois são coisas que estamos sempre buscando.

Assim, os processos digitais são cada vez atualizados e novas ferramentas e processos são inseridos no dia a dia do lar.


Algumas tecnologias para imóveis essenciais são:

  • Portaria eletrônica;

  • Fechadura digital;

  • Processos online, como emissão de boleto de taxa de condomínio;

  • Diminuição de burocracias no processo de compra e venda com operações online;

  • Smartthings, aparelhos conectados a internet e recebendo comandos pelo smartphone;

  • Assistentes virtuais conectadas a aparelhos da casa;

  • Torneiras inteligentes.


Já existem muitas possibilidades, mas muitas outras estão sendo criadas. Basta ficar de olho!


Coliving


O coliving é muito comum em outros países e continentes, como Estados Unidos e Europa. Se você já viu séries e filmes, com certeza, percebeu muitos personagens morado juntos e dividindo aluguel. O coliving é mais ou menos isso, pois é o conceito de moradia compartilhada.


Aqui no Brasil esse movimento tem se espalhado bastante. No entanto, é mais comum nas capitais dos estados, onde muitas vezes alunos saem do interior para estudar e jovens buscam pessoas para dividir as contas.

Saindo um pouco dessa ideia de alugar juntos e compartilhar espaços, o coliving também é aplicado a áreas comuns. Por exemplo, já existem muitos imóveis onde há espaços como lounge, cozinha gourmet e rooftop feitos para serem compartilhados entre moradores.


Assim, as áreas comuns se diversificam mais e se tornam mais modernas, além de promover diversão para todos.


Imóveis que afetem menos o meio ambiente


Pensar no meio ambiente passou a ser uma responsabilidade de todos nós. Por isso, mesmo as soluções mais simples se tornaram tendências para moradia.


Algumas delas são:

  • Bacia sanitária;

  • Lâmpadas de LED nos espaços comuns, como corredores, halls e elevadores;

  • Sensor de presença;

  • Janelas e espaços que aproveitam a iluminação natural;

  • Irrigação automática;

  • Bicicletário.

Apenas essas pequenas mudanças já representam uma mudança, não só economia na taxa de condomínio, mas também ajudam o meio ambiente.


Essas são as principais tendências por agora. Lembre-se de escolher imóveis que se encaixam nesses novos desejos para efetuar as melhores vendas.

Quer saber também que ferramentas podem ajudar a gerir melhor as suas vendas? Clique aqui.

17 visualizações0 comentário